quinta-feira, 12 de maio de 2016

Texto expositivo-informativo - Despedidas em Belém

«E já no porto da ínclita Ulisseia,
            Cum alvoroço nobre e cum desejo
            (Onde o licor mistura e branca areia
            Co salgado Neptuno o doce Tejo)
            As naus prestes estão; e não refreia
            Temor nenhum o juvenil despejo,
            Porque a gente marítima e a de Marte
            Estão pera seguir-me a toda a parte,

1. Escreve um texto expositivo, com um mínimo de 100 e um máximo de 140 palavras, no qual explicites o conteúdo desta estância.
O teu texto deve incluir uma parte introdutória, uma parte de desenvolvimento e uma parte de conclusão. Organiza a tua informação da forma que considerares mais pertinente, tratando os tópicos a seguir apresentados.
  • Indicação do episódio e do Plano a que pertence a estrofe;
  • Referência à personagem que profere este discurso;
  • Explicitação dos sentimentos existentes;
  • Referência às personagens envolvidas na ação;
  • Expressividade dos versos parentéticos.  

Texto expositivo-informativo - Inês de Castro

Lê a estrofe 120 do canto III d’Os Lusíadas.
       Estavas, linda Inês, posta em sossego,
       De teus anos colhendo doce fruito,
       Naquele engano da alma, ledo e cego,
       Que a fortuna não deixa durar muito,
       Nos saudosos campos do Mondego,
       De teus fermosos olhos nunca enxuito,
       Aos montes insinando e às ervinhas
       O nome que no peito escrito tinhas.

1. Escreve um texto expositivo, com um mínimo de 100 e um máximo de 140 palavras, no qual explicites o conteúdo desta estância.
O teu texto deve incluir uma parte introdutória, uma parte de desenvolvimento e uma parte de conclusão. Organiza a tua informação da forma que considerares mais pertinente, tratando os tópicos a seguir apresentados.
  • Indicação do episódio e do Plano a que pertence a estrofe
  • Referência às personagens referidas nesta estância
  • Características da personagem feminina;
  • Referência ao significado da expressão “Naquele engano da alma, ledo e cego,/Que a fortuna não deixa durar muito” (v.3-4);
  • Explicitação da importância da utilização dos adjetivos “linda”, “doce”, “ledo” e “fermosos” para o momento da ação.                 
           

Texto expositivo-informativo - Consílio dos Deuses

Lê a estrofe 28 do canto I d’Os Lusíadas.
            Prometido lhe está do Fado eterno,
            Cuja alta Lei não pode ser quebrada,
            Que tenham longos tempos o governo
            Do mar, que vê do Sol a roxa entrada.
            Nas águas têm passado o duro inverno;
            A gente vem perdida e trabalhada;
            Já parece bem feito que lhe seja
            Mostrada a nova terra, que deseja.

1. Escreve um texto expositivo, com um mínimo de 100 e um máximo de 140 palavras, no qual explicites o conteúdo desta estância.
O teu texto deve incluir uma parte introdutória, uma parte de desenvolvimento e uma parte de conclusão. Organiza a tua informação da forma que considerares mais pertinente, tratando os tópicos a seguir apresentados.
  • Indicação do episódio e do Plano a que pertence a estrofe;
  • Referência à personagem que profere este discurso;
  • Explicitação dos desígnios de Portugal;
  • Referência ao significado da expressão “que vê do Sol a roxa entrada” (v.4);
  • Explicitação das características dos portugueses.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Texto expositivo-informativo - Concilio dos Deuses

Consílio dos Deuses – texto expositivo-informativo

            O “Consílio dos Deuses” é o episódio d’Os Lusíadas que retrata a reunião convocada por Júpiter, tendo como objetivo determinar o destino dos portugueses na viagem até à Índia.
            Nesta assembleia, apesar de Júpiter ter tido uma primeira intervenção a favor dos portugueses, as opiniões dividem-se. Assim, Baco opõe-se ao sucesso dos Lusos, já que teme perder a sua influência no Oriente, porém, Vénus, apoiada por Marte, defende “o peito ilustre lusitano”  os lusitanos, devido à sua semelhança com os romanos, não só ao nível do carácter, mas também e da língua. Após esta discussão, o pai dos deuses delibera o sucesso do povo português.
            A simples existência de uma reunião no Olimpo para decidir o futuro dos lusitanos é, em si mesma, uma glorificação e engrandecimento destes navegadores.


126 palavras 124/123/120 palavras
9ºC (2015-2016)